Blog Flor de lotus


Transformação da vida implica mudança de postura

Convertemo-nos ao Budismo de Nitiren Daishonin por algum motivo.
Insatisfação pessoal, ideal humanístico, dificuldade financeira,
problemas de saúde, desarmonia familiar, entre outros.

Participando das atividades, aprendemos sobre revolução humana,
carma, possessão mútua dos Dez Estados da Vida, lei de causa e efeito
etc. Aprendemos o Gongyo e desafiamos cada dia a recitação de intenso
Daimoku.

No entanto, o que ocorre com alguns de nós que não conseguem
transformar suas circunstâncias e revolucionar a vida, sendo que com
outros isso ocorre normal e rapidamente?

Analisando, percebemos que, além da fé, na maioria das vezes,
precisamos mudar a postura. Por postura entendemos a maneira de
pensar e de agir.

A partir do momento em que nos convertemos ao Budismo de Nitiren
Daishonin e ingressamos na Soka Gakkai, nossa postura deve ser a de
budista com o espírito Soka. Ou seja, agir com sinceridade e
respeito, acreditar em nosso potencial, ter esperança, sabedoria e
força e nunca, jamais ser derrotados.

Muitas vezes, achamos que agimos conforme os princípios budistas. Mas
será que isso realmente ocorre?

Por exemplo: a BSGI protege o meio ambiente com projetos que
desenvolve na Amazônia, com exposições educativas e palestras que os
departamentos e divisões promovem. No entanto, quanto de nós jogam
lixo no chão? Um papel de bala, o lacre de um maço de cigarro, um
folheto de propaganda que nos entregam na rua, um chiclete etc.

Outro exemplo: O ponto primordial da filosofia budista é o respeito à
vida. Isso não implica somente não maltratarmos fisicamente alguém,
mas também não ferirmos sentimentalmente as pessoas com nossa forma
de falar e agir.

Mais um exemplo: Sabemos que ameaçar o fraco e bajular o forte é
característica do estado de Animalidade, um dos três maus caminhos
que "perde" apenas para os estados de Inferno e Fome. No entanto,
quantos de nós menosprezam e se impõem aos que consideramos de menor
importância?

Além disso, vemos também pessoas se esquivando de serviços pesados,
trabalhosos, deixando de se encontrar com pessoas com problemas para
não ter de se preocupar com os problemas dos outros. Vemos também
pessoas que não se comprometem com o que se propõem a fazer ou que
somente fazem o que convém, que dá prestígio, que o faz aparecer,
estar em destaque.

Na escritura "Carta ao Sacerdote Nitiro na Prisão", Nitiren Daishonin
diz: "Como é admirável o fato de o senhor ter lido a totalidade do
Sutra de Lótus tanto com o corpo como com a mente! Poderá, portanto,
salvar seu pai e sua mãe, seus seis tipos de parentes, e todos os
seres vivos. Outros lêem o Sutra de Lótus com a boca somente, lendo
apenas as palavras, mas não o lêem com suas ações.

"Dignos de louvor de fato são aqueles como o senhor, que lê o sutra
tanto com o corpo como com a mente." (As Escrituras de Nitiren
Daishonin, vol. 5, pág. 229.)

Colocar em prática dia a dia a filosofia budista, mudar a postura —
ser um ser humano melhor hoje do que foi ontem, e melhor amanhã do
que é hoje —, são passos que damos para a nossa revolução humana e
para a conquista de nossos objetivos.

Pela rigorosa lei de causa e efeito, tudo que fazemos e pensamos,
mesmo que ninguém fique sabendo, retorna para nós mesmos como efeito.
Saber disso não é o fundamental. É de vital importância querer mudar,
querermos nos tornar melhores e lutarmos para isso. Sem depender de
ninguém, sem procurar desculpas e culpados. O presidente Ikeda
orienta: "É por isso que a primeira coisa que devemos fazer é
desenvolver a nós próprios. Uma pessoa verdadeiramente louvável é
aquela que possui o espírito de se aprimorar e se desenvolver, e isso
é em si a verdadeira consideração pelos outros. Em contraste, ser
completamente centrado em si próprio e totalmente indiferente à
felicidade dos outros demonstra arrogância e uma natureza mesquinha
que é controlada pelo estado de Ira." (Brasil Seikyo, edição no
1.450, 28 de fevereiro 1998, pág. 3.)

Numa outra orientação, o presidente Ikeda enfatiza: "Vocês podem orar
por aquilo que quiserem. Podem colocar seus mais acalentados sonhos
em seu Daimoku, livres de toda pretensão e da forma que acharem que
seja mais verdadeira para seu sentimento. Apesar de não obterem
resultados imediatos, seu Daimoku vai conduzi-los firmemente na
direção correta e diante de vocês será aberto sem falha um horizonte
de ilimitada esperança. Vocês têm também de se empenhar, de ser
habilidosos e tomar medidas práticas para que suas orações se
concretizem." (Ibidem, 24 de fevereiro 2001, edição no 1.593, pág.
3.)

Orar firmemente o Daimoku, independentemente das circunstâncias em
que nos encontramos, com a forte determinação de nos revolucionarmos
e esforçando-nos para termos uma postura de verdadeiros budistas e
dignos filhos da Gakkai, proporcionará nossa revolução humana e "seu
Daimoku vai conduzi-los firmemente na direção correta e diante de
vocês será aberto sem falha um horizonte de ilimitada esperança".
Tudo depende unicamente de cada um de nós.
25 DE AGOSTO DE 2001 — B.S. EDIÇÃO Nº 1617



Escrito por soraya.aquino às 09h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Para hoje e amanha
Encorajamentos Diários
Daisaku Ikeda
 
O que importa  no final,  é  vencer.  As vitórias e derrotas durante o percurso sao de importância secundária.  Na vida é a vitória final que conta e isto é a razao da nossa prática Budista.  Nao importa  fam, poder ou privilégio, que a pessoa possa ter, Nitiren Daishonin diz, desde a perspectiva Budista, tudo nao é mais do que um sonho, uma ilusao bonita.  A verdadeira felicidade somente pode ser obtida com a revelaçao do Estado de Buda inerente em nossa vida.
 


Escrito por soraya.aquino às 09h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Em uma famosa passagem de "Sobre a Prática dos Ensinos do Buda" consta:

 "Não
 importando quantos terríveis inimigos encontrem, expulsem todos os medos e
 nunca pensem em recair". (WND-1, pág. 395.)
 O Sr. Toda também dizia sempre: "Você consegue! Se pensar que não e
 desistir, não conquistará nada!" O importante é entrar em ação e não
 deixar
 as coisas para os outros fazerem. Não sejam o tipo de pessoa que decide
 rapidamente que não consegue e deixa de tentar. Tenham um forte sentimento
 de que "eu consigo"!
 
 Daisaku Ikeda


Escrito por soraya.aquino às 09h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O que é budismo?

ABRIL DE 2007 — EDIÇÃO Nº 464


No livro Vida — Um Enigma, uma Jóia Preciosa, o presidente Ikeda deixa implícito no texto que, não obstante muitos considerarem o budismo um sistema filosófico, na verdade, é algo mais do que isso.

O budismo é um caminho, um diálogo com a vida. É algo para ser facilmente compreendido e vivido. É um veículo, uma espécie de balsa para atravessar um rio.

“No budismo, o suporte é a consciência cotidiana comum, ou seja, é o ser humano comum, tal como cada um é. Enquanto meio, caminho, diálogo, o budismo é um relacionamento constante, permanente entre mestre e discípulo. Quando muitas vezes se afirma que no budismo não há dogmas, a despeito de não haver religião sem dogma, faz sentido a afirmação. O budismo é muito mais do que uma religião, do que uma doutrina. É um riquíssimo caminho de espiritualidade, em constante processo de atualização, de mutação, sem apegos a visões ortodoxas, rígida ou não. Falo aqui do Budismo de Nitiren Daishonin, em que “destruir relações e levantar dúvidas” indica uma repentina inversão nas crenças e convicções que as pessoas vinham mantendo até aquele momento. É uma mudança decisiva na visão de mundo já existente. (...) Sob uma perspectiva mais profunda, isso equivale a uma revolução espiritual que transforma completamente a visão das pessoas em relação à vida, à existência humana, à sociedade e ao mundo.”2 Eis a primeira diferença: o espiritismo é uma doutrina. O budismo é um meio, um diálogo, um caminho.

Outra diferença



O budismo não vê Deus como um ser transcendente, criador de todas as coisas, uma divindade externa. Ensina Daisaku Ikeda: “No mais profundo interior de todos os seres, existe a primacial força que faz com que vivam. A mesma força suporta a matéria inorgânica no sistema de harmonia e ritmos da grande existência cósmica. No budismo, essa força total é denominada por muitos nomes, porém, o mais apropriado é Myoho, a Lei Mística. Essa é a energia de que precisa toda vida, que cria e recria a existência, tanto a espiritual como a material.

“Quando essa força se manifesta no mundo físico, aparece como um sistema que governa o mundo inorgânico, que torna possível a composição química e que controla as pulsações do Universo. Em outras palavras, as leis da física, da química e da astronomia são simplesmente particulares manifestações fenomenológicas da Lei Mística do cosmo. Da mesma forma, a força vital cria o mundo do espírito, cria a inteligência, dá força aos desejos e aos instintos e, assim, produz todas as variações da atividade mental e espiritual. É o que em outras religiões é chamado de Deus, mas diferente da Divindade Maior pelo fato de ser perfeitamente imanente no cosmo e na vida humana. Não é uma força fora do Universo; É o próprio cosmo. A verdadeira natureza do cosmo e da vida é a fusão das leis física e espiritual da vida. É o processo que cria a existência e a faz desdobrar-se infinitamente”.3

A fonte da vida não está na idéia de um Deus criador, transcendente ao cosmo. “Para Nitiren Daishonin, o ‘princípio fundamental’ significa a essência da vida no cosmo ou, em outras palavras, a corporificação da Lei Mística.”4

Como já dito, no espiritismo, os seres são constituídos de corpo, espírito e perispírito. No budismo, essa constituição também é diferente. Segundo Nitiren Daishonin, “a devoção de uma existência é às leis físicas e espirituais da vida. O princípio fundamental revela que as duas leis são aspectos inseparáveis de cada vida”.5 O presidente Ikeda esclarece esse ponto, dizendo: “Em última análise, isso quer dizer que a dedicação a Buda e à Lei se resolve na fé da própria vida, que é uma perfeita unidade do físico e do espiritual”.6 Portanto, não existe a dualidade corpo-espírito, muito menos a trindade corpo-espírito-perispírito. Todos os seres são unos. As atividades físicas são inseparáveis das atividades espirituais e vice-versa. “Na concepção de Nitiren Daishonin, o Universo executa os movimentos rítmicos nos quais os mundos físico e espiritual se fundem. (...)

“A existência do homem é uma forma de ação da vida cósmica e está conectada com a mais profunda força do Universo. A vida dos homens, como a do cosmo, consiste de uma indivisível entidade de elementos físicos e espirituais. Nitiren Daishonin se referia a isso — assim penso — quando disse que a palavra “kimyo” significa ‘devoção a Buda e à Lei’. Desdobrou a palavra, explicando: ‘‘‘Ki’ se refere à lei física da vida e ‘myo’ à espiritual. (...)

“A lei espiritual de todos os seres vivos é fundada na existência do cosmo. Tem, com a existência do homem, um único núcleo fundamental da energia e as duas participam da fusão e dos seis rítmicos movimentos. As duas estão sujeitas a uma contínua e constante mudança”.7

Cont...



Escrito por soraya.aquino às 12h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Vida após a morte



Segundo o presidente Ikeda, “é um equívoco pensar tanto na vida como na morte em termos absolutos, tomar uma e ignorar a outra. Ambas são fases intrínsecas da existência humana. A vida flui eternamente em grandes ondas, alternando com a morte — indo e vindo — através do tempo. Sakyamuni percebeu isto recordando o fluxo das suas próprias vidas. Sua doutrina não era qualquer doutrina romântica da imortalidade surgida de uma vontade de viver. Pelo contrário, ele percebeu que a vida é eterna porque a lei de causa e efeito ordenou as suas próprias séries de existências. No seu conceito, a morte ocorre para que possa haver uma nova vida. Sua função é como a do sono, que é um período de descanso antes de um novo despertar.

“Essa idéia é expressa no capítulo do Sutra de Lótus dedicado à vida eterna de Buda, no qual a morte é vista como um expediente, não para ser ignorado, pois é subordinado à existência. Essa visão é, em muitos sentidos, um hino à vida que, no entanto, não nos obriga a evitar ou esquecer a morte. O objetivo do Sutra de Lótus — como o de Sakyamuni — é o de nos capacitar ao gozo da alegria da vida sem ignorar a natureza e a essência da morte”.8

Para o budismo, nosso eu é parte integral da existência cósmica. “Mesmo dentro de uma pessoa em estado de Inferno, mantém-se vivo o supremo estado de Buda, pois a energia da Lei Mística permeia as correntes profundas da morte. Pleno de uma compaixão profunda, o Buda ilumina as realidades da vida e da morte justamente como são. Esse é o reflexo do discernimento de Buda sobre a realidade constante e fundamental de todas as formas de vida, como é também a expressão da possibilidade de salvação destinada ao alívio do sofrimento da morte”.9

Portanto, diferentemente do espiritismo, no budismo, a reencarnação (transmigração, segundo o budismo) não se dá para aprimoramento dos espíritos; é uma seqüência natural da vida, um ciclo permanente.

Por outro lado, a lei de causa e efeito a que se refere o texto não tem conotação moral. Trata-se do princípio da causalidade segundo a qual todos os fenômenos provêm de causas e condições.

Notas: 2. Brasil Seikyo [BS], edição nº 1.451, 7 de março de 1998, pág. 3. 3. IKEDA, Daisaku. Vida — Um Enigma, uma Jóia Preciosa. Rio de Janeiro: Editora Record, 1982, pág. 28. 4. Ibidem. 5. Ibidem, pág. 23. 6. Ibidem. 7. Ibidem, págs. 28-29.

Obs: Matéria cedida por e-mail gentilmente por Carlos Aquino.



Escrito por soraya.aquino às 12h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





O NAM-MYOHO-RENGUE-KYO

incorpora o nome e a vida de Nitiren Daishonin.

 Aquele que recita o daimoku
 consegue evidenciar o estado de vida do Buda Nitiren Daishonin
 dentro de sua própria vida.
 Certamente haverá de atingir o estado de buda.
 Não existem budas que ficam sofrendo eternamente na pobreza.
 Também não existem budas cruéis ou malvados,
 como não existem budas fracos ou derrotados na vida.
 Buda é um outro nome
 para uma pessoa que está determinada a vencer
 não importa o que aconteça.
 
 Daisaku Ikeda [Revista DEZ, abril/2007, p.19]



Escrito por soraya.aquino às 08h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PAZ.....

A PRÁTICA LEVA A PERFEIÇÃO, OS VENCEDORES NUNCA DESISTEM

Abra os olhos para ver as coisas como realmente são.
Basta apenas acreditar em voce mesmo.
Considere as coisas por vários ângulos.
Desistir é palavra que deve ser riscada do vocabulário.
Entenda a si mesmo para poder entender melhor seus semelhantes.
Família e amigos são tesouros escondidos,procure encontrá-los e desfrutar de suas riquezas.
Ganha mais quem faz e doa mais do que planejou.
Hoje aproveite a vida.
O ontem já passou e o amanhã pode nunca chegar.
Ignore aqueles que tentam te desencorajar.
Já chegou a hora de agir.
Faça agora.
Aja!!
Know-how, novas técnicas e preparo são fundamentais.
Leia, estude e aprenda sobre tudo o que é importante na sua vida.
Mais do que tudo, queira seus sonhos.
Obtenha mais paz e harmonia evitando fontes, pessoas, lugares, coisas e hábitos negativos.
A prática leva à perfeição.
Quem desiste nunca vence e os vencedores nunca desistem.
Ressalte e defina seus objetivos e vá em direção a eles.
Sonhos são a matéria prima de qualquer realização.
Apegue-se a eles.
Tome e assuma o controle de seu próprio destino.
Uma boa atitude positiva deve ser preservada sempre.
Visualize o que voce quer.
Watts: Ponha energia em sua vida.
Acelere seus esforços e faça acontecer.
XIS: o "xis" da questão é:
Voce é uma criação única,
Nada nem ninguém pode susbtituir voce.
Zele por sua auto estima.
AME-SE MAIS!!!

********************

A vitória nos faz felizes.
A derrota nos deixa péssimos e patéticos.
É por isso que devemos vencer sem falta.
Esse é o objetivo do budismo.
Nossa prática existe para
que possamos nos tornar felizes.
Qual foi a importante percepção
do escritor russo Leon Tolstoi,
no famoso romance Guerra e Paz?
Ele descreve que a pessoa
que está decidida a vencer, consegue.
Aqueles que estiverem firmemente
determinados a vencer,
com certeza, conseguirão no final.
O combustível que alimenta essa
determinação é a oração; é nossa fé.
(Daisaku Ikeda)

[BS 1.801, 25/6/2005, pág. A3]



Escrito por soraya.aquino às 14h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




"Uma pessoa feliz é aquela
que tem sempre em mente seu objetivo.
Não vê problemas em seu caminho,
mas sim desafios.
Tem seus pensamentos no futuro
e suas ações no presente.
Segue em frente, levando do passado
apenas a experiência vivida .
Uma pessoa feliz é aquela
que tem personalidade, não se deixa levar
pelos fracos, não deixa que o medo
tome conta de seu destino,
mas também Não é inflexível.
Uma pessoa feliz é aquela
que realiza seus sonhos."
(Daisaku Ikeda)



Escrito por soraya.aquino às 17h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




    

           

 O lotus e uma flor que nasce e cresce na lama....

Quanto mais grossa e funda for a lama,

Mais bonito floresce o lotus!!!!! "

Esse pensamento e expresso pelo cantico budista:

Nam - Myoho - rengue - Kyo



Escrito por soraya.aquino às 21h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     Daisaku Ikeda : Uma vida dedicada à paz

Quem é Daisaku Ikeda
Daisaku Ikeda nasceu em Tóquio no dia 2 de Janeiro de 1928. É filósofo, escritor, poeta e líder espiritual budista. Casou-se em 3 de Maio de 1952 com Kaneko com quem teve 3 filhos.

Budismo e a Soka Gakkai
Aos 19 anos, Ikeda converteu-se ao Budismo Nitiren Daishonin, ao tornar-se membro da Soka Gakkai, liderada por Josei Toda, seu mestre por toda a vida. Com a morte de Toda, Ikeda assumiu a organização em 3 de Maio de 1960. Sob sua liderança a Gakkai ampliou suas ações em prol da paz cultura e educação por todo o globo. Em 1975, Ikeda fundou a SGI - Soka Gakkai Internacional, hoje presente em 190 países e territórios. Sua atuação, inclusive como mediador na aproximação das relações entre China e Japão, deram-lhe 200 títulos de Doutor Honoris Causa. Um de seus mais eloqüentes discursos, foi proferido em Harvard, em 21 de Setembro de 1991. Suas palavras falam da necessidade do desenvolvimento do Soft Power; um poder que emana do potencial humano de cada um em direção ao outro como empatia. Trata-se, então, do desenvolvimento de uma atitude compreensiva, que se coloca no lugar do outro, compartilhando sentimentos, desejos, cultura, diferenças, de uma verdadeira compaixão, base para uma cultura de paz.


Ações voltadas para a paz
Entre as mais significativas realizações de Daisaku Ikeda estão o Centro de Pesquisas de Boston para o Século XXI e o Centro de Pesquisas Ambientais da Amazônia. Também fundou duas Universidades Soka, uma no Japão e outra na California, USA.
Todos os anos, no dia 26 de Janeiro, o presidente da SGI envia uma proposta de paz para a ONU abordando temas ambientais, sociais e políticos. Sua intenção é chamar atenção para uma nova forma de pensar, com

embasamento acadêmico e científico. Daisaku Ikeda, certamente, inspira-se na filosofia budista, nesta longa caminhada. No entanto, é um defensor ferrenho da liberdade religiosa e de uma educação laica, humanista e libertadora.



Escrito por soraya.aquino às 23h17
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





"É muito fácil sermos fortes quando estamos em meio a muitas pessoas, quando as coisas estão caminhando conforme nosso desejo. A grande dificuldade é mantermos a nossa determinação firme quando tudo caminha para um rumo não esperado ou quando estamos sozinhos. Nitiren Daishonin nos ensina que quando as pedras caírem na nossa cabeça, precisamos ter força para ficar de pé, e fazer delas a escalada para a nossa evolução, para o nosso desenvolvimento. A prática budista é justamente para o fortalecimento pessoal, para nos manter firmes e fortes diante das pedras que surgirem no nosso caminho. Quanto maiores as dificuldades, mais fortes devemos ser." 
(Brasil Seikyo/ 2006 n. 42)



Escrito por soraya.aquino às 21h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




"Existe uma única estrada e somente uma, e essa é a estrada que eu amo. Eu a escolhi. Quando trilho nessa estrada as esperanças brotam, e, o sorriso se abre em meu rosto. Dessa estrada nunca, jamais fugirei."



Escrito por soraya.aquino às 10h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




♥¸.•**•.¸♥¸.•**•.¸♥¸.•**•.¸♥♥¸.•**•.¸♥¸.•**•.¸♥¸.•**•.¸♥

"A paz não é um conceito abstrato e remoto

 de nossa vida diária.

É uma questão de como cada um de nós planta e cultiva

as sementes da paz em nosso mundo real,

em nosso cotidiano,

nas profundezas de nosso ser

e por toda nossa vida.

Tenho certeza de que nisso se encontra

o caminho mais seguro para a paz duradoura."

(Daisaku Ikeda)
♥¸.•**•.¸♥¸.•**•.¸♥¸.•**•.¸♥♥¸.•**•.¸♥¸.•**•.¸♥¸.•**•.¸♥



Escrito por soraya.aquino às 10h52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





"Seja como for, a grandiosa 'revolução humana' de uma única pessoa irá um dia impulsionar a mudança total do destino de um país e, além disso, será capaz de transformar o destino de toda a humanidade."

Daisaku Ikeda
Presidente da Soka Gakkai Internacional




Escrito por soraya.aquino às 10h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Soka Gakkai Internacional
linazul1t.jpg (3128 bytes)

Fundada no Japão em 1930, por um educador, a Soka Gakkai nasceu com o objetivo de se constituir numa "sociedade de criação de valores humanos", tradução literal de sua primeira denominação. A partir de 1945, com o término do conflito mundial, a organização se engaja na luta pela retomada da dignidade da vida e dos valores básicos do ser humano, destruidos pela guerra. Em 1975, após construir uma base sólida no país, é fundada a Soka Gakkai International — SGI, estendendo sua atuação para o plano internacional — na condição de Organização Não Governamental filiada à ONU. Atualmente, a SGI está presente em 190 países, nos quatro continentes, defendendo uma linha nítida de ação voltada para a promoção do respeito à pessoa humana, através da educação, paz e cultura. Entre outras realizações, destacam-se a fundação de universidades, centros culturais, museus e a promoção de eventos de natureza educacional e artístico, envolvendo os mais diversos setores da sociedade em todo o mundo. O questionamento e a busca de soluções efetivas para os graves problemas que afetam a humanidade se incluem nas preocupações da SGI. Para tanto, a organização é reconhecida pela sua colaboração sistemática aos vários planos de paz elaborados pela ONU, através do envio de propostas específicas, com destaque para os assuntos de desarmamento e auxílio a refugiados.

A BSGI é a representação brasileira da Soka Gakkai Internacional (SGI), ONG com base budista, filiada às Nações Unidas, atuante nas seguintes áreas: Cultura, educação, paz, meio-ambiente, desarmamento nuclear e apoio a refugiados de guerra.
Visite a BSGI em
http://www.bsgi.org.br 



Escrito por soraya.aquino às 10h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  Isabela
  Silbruxinha
  Soraya
  Amonra
  BSGI
Votação
  Dê uma nota para meu blog